Como, onde e por quê fazer um intercâmbio

Intercâmbio
 
substantivo masculino
  • reciprocidade de relações (comerciais, culturais etc.) entre nações. Ou entre pessoas e nações.

No período em que vivemos é relativamente acessível viver essa “reciprocidade de relações”, seja com pessoas, com países, com empresas, etc. E é claro que a internet é o que faz tudo ser acessível dessa forma. O intercâmbio pode ser de ideias também, e com a mesma premissa dos outros tipos de intercâmbio, para se trocar ideias temos que nos despir de nossos pré julgamentos e abrir a nossa cabeça para coisas novas, sejam elas ideias, culturas ou o que for.

Bem, muitas pessoas me pedem dicas e informações sobre cada vez mais modalidades de intercâmbio e esse é um assunto que me interessa muito. Num mundo utópico, eu penso que a realização de um intercâmbio cultural na vida das pessoas devesse ser algo obrigatório para a formação de todos os cidadãos, para fins de amadurecimento, consciência do mundo, respeito e ampliação de horizontes e ideias.

Sem mais delongas, o post de hoje vem inspirado por uma informação de alguns dias atrás, a de que  a partir do dia 01/03/2018, brasileiros de 18 à 30 anos terão a oportunidade de tirar um visto de férias e trabalho para a França por até um ano. Isso é uma ótima notícia, considerando que apesar de muitos países no mundo oferecem a modalidade de visto “Work and Hollday“, os critérios de nacionalidade são muito limitados. Portanto, para brasileiros, os países oferecendo essa opção são Nova Zelândia, Austrália e Estados Unidos e agora a França.

Listo alguns tipos de intercâmbio que podem ser feitos, de curto (3 meses) à longo prazo(1 ano ou mais):

Work and Holiday Visa

Cada país tem as suas peculiaridades sobre o visto. Mas normalmente, o período é de 3 meses até 1 ano, e deve-se trabalhar por todo o tempo – ou uma parte dele. A ideia original é que se trabalhe por 6 meses, por exemplo, e depois saia para viajar e conhecer melhor o país. Essa modalidade de intercâmbio é interessante financeiramente porque você vai ter um retorno do seu investimento com passagens, seguro saúde, etc. quando estiver trabalhando no país.

Estudo de línguas

Esta experiência, altamente difundida e valorizada, te permite matricular em uma escola ou universidade para aprender o idioma local de forma mais intensiva, normalmente as aulas são de manhã e a tarde tem aulas de “cultura”: Passeios guiados, estudo do cinema, gastronomia e artes locais, além de outros mini-cursos. Os cursos tem duração e carga-horária variadas. Como pesquisar? Há vários sites de pesquisas por idiomas, deixo aqui a sugestão do https://www.languagecourse.net/ onde você pode pesquisar qual idioma quer estudar, quais são as cidades disponíveis e ele já informa o preço do curso para a partir de 2 semanas (sem acomodação). Claro, tem uma infinidade de outros sites, este é só um modelo. Outra dica e pesquisar direto pelas cidades onde você tem interesse, sempre há cursos mais acessíveis – e bons.

 

Estudos acadêmicos – Curto ou longo período

Essa é uma das formas mais conhecidas e praticadas. As formas para fazê-lo são: Bolsas de estudo, mobilidade acadêmica pela sua universidade ou fazer toda a graduação no exterior. Este último é omeu caso e posso dizer que é mais fácil do que se pode pensar –  e mais barato também. Saiba mais sobre fazer toda a graduação no exterior aqui . Deixo também esse artigo sobre lugares onde o ensino é gratuito ou pouco custoso: https://www.estudarfora.org.br/seis-paises-em-que-e-possivel-estudar-de-graca-ou-quase/

Trabalho voluntário no exterior

As opções são inúmeras para essa modalidade. “Trabalho voluntário” é muito amplo, você pode trabalhar em ONGs melhorando a vida de pessoas, cuidando de animais que sofreram abandono ou bebês leões na África, trabalhar na sua área em ONGs ou em empresas, e muito mais. Você pode procurar a AIESEC ( saiba mais sobre o intercâmbio deles aqui), agências ou diretamente as associações em outros países.

Trabalho em troca de acomodação

Você pode passar um tempo – desde uma semana até um ano ou mais – em algum lugar de graça. Sim, é isso mesmo. Em troca da sua mão de obra por mais ou menos 30 horas semanais você pode se alojar e ter algumas refeições gratuitas, enquanto descobre um novo país ou cidade brasileira. Sites como Workaway e Worldpackers oferecem uma infinidade de coisas para fazer: Trabalhar algumas horas por dia em castelos, hostels, fazendas, desempenhando funções como ajudar em reformas, cozinhar, atender pessoas, construir e atualizar sites, cuidar de animais, etc. Tudo isso em troca de acomodação e muitas histórias. Neste post eu falo mais sobre esse tipo de intercâmbio.

Au Pair

Eu fiz esse intercâmbio quando cheguei na França e digo que foi a melhor forma de conhecer a cultura “de verdade” e de uma forma que não seria possível se eu viesse apenas por estudos. Tem um post inteirinho só sobre isso aqui

 

As modalidades citadas são algumas de uma grande lista. Hoje um intercâmbio é acessível para todas as idades: desde  a adolescência, nos intercâmbios de High School, até os recentes intercâmbio para a terceira idade promovidos por agências.

Países mais baratos para fazer intercâmbio

O real anda bastante desvalorizado em relação ao euro há mais de um ano, isso não tem como negar. Mas saiba que intercâmbios podem ser mais acessíveis. Há muitas opções de destinos para se aprender um idioma ou simplesmente imergir em uma cultura diferente que não vão tirar o seu sono ou te fazer considerar vender o seu carro para viajar.

Os países do Cone Sul – Chile, Argentina e Uruguai. Esse trio anda em voga no mundo todo e para nós, brasileiros, são interessantes por serem próximos, com moedas senão menos valorizadas, equiparadas ao real, e ao mesmo tempo bastante diferentes, oferecendo muitas paisagens e gastronomia bastante diversas (neve, montanhas, vinhedos, praias…). Além disso brasileiros não precisam de visto para passarem uma temporada nesses países (nos do Mercosul também).

patagonia-argentina
Você quer neve? Estude espanhol na Patagônia Argentina

A América Latina é um mundo incrível e muito rico, eu recomendaria todos os países para estudo do espanhol ou cursos de gastronomia. Que tal fazer um curso de barista+ espanhol na Colômbia, produtora do café suave, um dos melhores do mundo? Ou aprender a fazer o melhor da cozinha peruana em Lima o Arequipa? As opção são inúmeras.

parque-tayrona-banner-1
Parque Tayrona, Colômbia

 

Você pose usar sua criatividade para aproveitar o melhor de cada lugar, sabendo que todos os países do mundo tem suas particularidades e diferenciais.

Se você quer saber mais sobre esse tema, escreva para mim! Além disso o 360meridianos, um dos meus blogs favoritos, tem mais de 10 páginas cercando esse tema Intercâmbio. Confira o blog

Boa preparação!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: