Como é estudar numa universidade no exterior?

Contexto: Em 2015 me mudei para França por duas razões: A primeira é por causa de uma graduação específica que infelizmente não tem no Brasil e que se chama Línguas Literaturas e Culturas Estrangeiras Trilingue (a qual você pode escolher 3 entre 20 ou 30 línguas para estudar os aspectos mencionados) e o segundo motivo está listado aqui

Desde então a vida tem sido desafiadora em vários sentidos. Por isso, passadas as semanas de provas, escreverei sobre como é estudar em uma universidade fora do Brasil, mais especificamente as francesas, mas alguns dos pontos abaixo se aplicam para outras universidades da União Europeia também. Vamos começar porque as diferenças são muitas!

 

Universidades do Brasil x França

O sistema de notas

Existem vários tipos de sistema de notas pelo mundo, aqui eu ainda acho bizarro o fato de as notas irem até 20 e não até 100. Esse é o caso da Suécia e da Bélgica também.

A duração do curso superior

Os cursos que no Brasil seriam Licenças ou Bacharelados e durariam entre 4 e 5 anos, por aqui  todos são as chamadas Licence e duram 3 anos. Os mestrados duram 2 anos e o doutorado pode variar entre 2 e 3 anos.

A carga horária

A carga horária semanal de aulas do meu curso pelo menos passa das 20h semanais e são dividas de manhã e a tarde. Aqui não existe curso matutino ou noturno. Inclusive quando digo aos meus colegas que na minha primeira graduação estudava à noite, todo mundo estranha. As aulas são divididas ao longo do dia, entre 8h da manhã e 19h da tarde geralmente e também não são todos os dias. Tem semestres, por exemplo, que você não tem aula em algum dia da semana ou acontece de ter uma única aula de manhã, das 8h- 9h e depois várias a partir do meio-dia por exemplo. É bastante variável.

 

A cultura/formato de estudos

Isso me chamou muito a atenção e exigiu uma certa capacidade de adaptação e de novos hábitos (inclusive repeti um semestre principalmente por causa desse processo). No Brasil não temos o costume de estudar diariamente para a faculdade ( falo por experiência própria e dos meus círculos de amizades). É muito raro ir para a biblioteca da universidade ou a da cidade fora de época de provas ou de entrega de trabalhos. Inclusive o tempo que me dedicava mais aos meus estudos era muito inferior ao de hoje em dia. Não se tem nem a cultura e nem a necessidade disso para a maioria dos cursos do Brasil.

Porém aqui o sistema é outro. Algumas aulas dos cursos de graduação na França são divididas em 2 tipos: TD e CM ( TD significa “trabalhos dirigidos” e CM “aula magistral”). O dois são complementares e vou explicá-los de acordo com a minha própria experiência. O ano letivo compõe 60 créditos no total. 30 por semestre, e dentre estes 30, algumas disciplinas tem mais “importância” do que outros, podendo valer 6 ou 3 créditos. No meu curso as matérias com mais “peso” são literatura e civilização britânica/americana, então temos um cronograma com o que estaremos estudando semanalmente e devemos assistir em sala.Na disciplina de civilização britânica, por exemplo, eu devo ir nos cursos de CM que são para todos os estudantes do curso, em grandes anfiteatros como na foto abaixo. É um curso que não é obrigatório (não tem chamada) mas é onde você vai aprender o conteúdo principal da semana em 1 hora, fazendo as suas anotações. Eis o CM. Depois disso, durante a semana e antes da aula de civilização britânica “TD”, você já sabe o tema sob estudo e deverá preparar 4 questões sobre o assunto que foram previamente dadas no material. Você então terá que ir à Biblioteca Universitária fazer as suas pesquisas complementares, sem as quais você não conseguirá preparar as aulas para os TDs. Ou seja, temos uma hora de TD e uma hora de CM por semana que não são o suficiente. O trabalho principal é um trabalho que o estudante faz em casa, de son côté.

No TD aqueles 200, 300 alunos do anfiteatro são divididos em turmas de 50 e nesse caso são em salas de aula como no Brasil. No TD a aula é bem mais dinâmica e todo mundo deve participar e estar preparados para as questões que o professor pode vir a perguntar. Já aconteceu de professores meus pedirem para quem não preparou as aulas saírem da sala, isso é obrigatóro.

Porém, não são todas as matérias que são TD/CM, a maioria é apenas TD e mesmo assim sempre tem algo semanal para fazer em casa. É por isso que aquela cultura do Brasil, que eu disse acima que tinha, não pode mais ser usada por aqui. Todas as semanas temos umas 2h idealmente por dia para estudar em casa.

Cursos de CM
Exemplo de aula de CM.

Os famigerados CRÉDITOS (ECTS)

Graças à reforma feita no ensino superior de 29 países pelo Tratado de Bolonha em 1999 e com o intuito de promover uma mobilidade entre esses países, foi colocado em prática o sistema de créditos (ECTS – Sistema Europeu de Transferência de créditos -)  . 60 créditos são o equivalente a um ano completo de estudos ou de trabalho. Regra geral, num ano acadêmico normal, os 60 créditos são repartidos entre várias matérias mais pequenas. Como disse anteriormente, por semestre no total todas as matérias valem 30 créditos divididas diferentemente. Ok, e daí? E daí que os créditos estão aí para te ajudar. Eles se “compensam” então por exemplo, numa matéria x eu posso ter tirado 15/20 e na Y 8/20, eles fazem uma média mesmo que essas matérias não sejam relacionadas para aumentar a sua nota.

Calendário Universitário

Essa é uma das partes mais diferentes também em relação ao Brasil. Em média a cada 10 semanas temos pelo menos uma semana de férias. Para as crianças são duas semanas. Na universidade as últimas aulas terminam até início de abril e os últimos exames são no fim do mesmo mês. Se você passar direto, parabéns, terá férias de maio a setembro (!) se ficar de recuperação terá um mês e meio para estudar, fará os últimos exames no fim de junho e terá férias de julho até setembro. São as famosas e longas férias de verão.

Por outro lado na época das altas férias do Brasil, aqui na França temos só duas semanas de férias, as de Natal, que não são realmente férias já que na primeira semana de janeiro já temos semana de provas.

 

Voilà, essas são as principais diferenças entre o Brasil e a França em termos de educação superior. Caso você esteja vindo estudar e tenha alguma dúvida relacionada ao tema ou vida na França em geral, estarei feliz em responder!

 

allsh
Université d´Aix-Marseille – Campus Aix-en-Provence

 

10 thoughts on “Como é estudar numa universidade no exterior?

Add yours

  1. OLÁ, JÁ ESTANDO NA FRANÇA, NO MEU CASO EM PARIS CONSIGO INGRESSAR NA UNIVERSIDADE MESMO SEM O VISTO? ESTANDO ” ILEGAL ” . OBRIGADA E PARABÉNS PELO POST ESCLARECEDOR .

    Like

    1. oi Rafhaella, tudo bem? Você pode fazer a candidatura mesmo sem visto, mas quando vc passar para se matricular vai precisar do visto de estudante. Eu achei que foi fácil até o processo. Boa sorte!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: