O mais belo destino para você visitar em 2018

DICA IMPORTANTE (!) Se você está planejando viajar para Gênova ou Pisa, saiba que é possível conhecer o Parque Nacional Cinque Terre em um dia! Muita gente não sabe disso, inclusive eu não fazia ideia.

Fazia meses que estava planejando com uma amiga que também estuda italiano de conhecer a Itália e fazer uma imersão linguística de alguns poucos dias. Durante as férias acadêmicas no final de outubro rolou essa oportunidade. Mas, como a grana estava curta, ficaríamos só 3 noites em alguma cidade grande italiana não muito longe.

Aix-en-Provence e Marseille (que são cidades vizinhas) ficam a 400km de Gênova, capital da região da Ligúria. Durante as nossas pesquisas também descobrimos que os Cinque Terre ficam a 80 km da capital liguriana e que seria possível fazer o passeio.

Liguria
Trajeto entre Gênova e o Parque Nacional de Cinque Terre

 

Gênova é uma cidade que lembra muito Marseille: Ambas são bastante históricas, grande centros portuários, em zonas industriais e com pessoas do mundo todo.

Além disso há alguns fatores culturais interessantes: é a cidade natal de Cristovão Colombo, cidade onde Marco Polo ficou preso por algum tempo e onde escreveu/ditou seu livro e… a cidade europeia com o maior número de motos por habitante.

Park pricing, zona blu per i mezzi a due ruote in centro 03/12/2
Estacionamento em Gênova

 

Além dessa incrível  informação cultural sobre as motos, Gênova é bastante conhecida pelo seu grande aquário, o primeiro em variedade de espécies de toda a Europa, com 12.000 animais. Está muito bem localizado, no Porto Antigo, bem no centro da cidade.

Acquario_Genova-03
Acquario di Genova

Site do Acquario di Genova

Além disso, cada uma das 20 regiões da Itália é “especializada” em determinados tipo de massas, molhos e outros pratos. Isso também pesou na decisão de escolher a Velha Gênova, que é a terra do pesto, do ravioli e da focaccia por excelência.

Cinque Terre

Sem dúvidas esse é o lugar mais lindo que já visitei na minha vida, me marcou muito e não é à toa que ele será o tema do primeiro post do ano. São cinco pequenos povoados de pescadores onde o meio de transporte mais utilizado é o barco. Assistindo um episódio do programa “Madrileños por el Mundo” (como um “O Mundo Segundo os Brasileiros”) sobre a Costa da Ligúria, algum dos participantes falava que praticamente cada morador desses cinco povoados tem o seu barco.

5t

É proibido entrar no local de carro ou moto, apenas os veículos do Parque são autorizados. Não há farmácias ou mercados, apenas alguns restaurantes – poucos e à preço super turístico. Por falar em turistas, claro, tem gente do mundo todo e em alguns lugares não se dá nem pra andar facilmente. É como visitar a Torre Eiffel.

Se você pretende fazer a visita em só um dia, saiba que existe o Cinque Terre pass que custa 16€ para visitar os 5 villages. Esse valor é o valor do trem mais alguns outros benefícios, como wifi durante a visita e a possibilidade de fazer o trajeto pela famosa Sentiero Azzurro, uma trilha com uma vista pitoresca que liga as cinco cidades em 12 km. Não esqueça que a entrada do Parque é gratuita. No meu caso eu só conheci o village de Manarola, que foi o que achamos mais bonito segundo nossas pesquisas prévias.

 

Quando chegamos nos villages de trem, saímos da plataforma que dá pra um túnel de entrada nesse mundo mágico de casinhas antigas coloridas, velhinhos locais e muito mas muito turistas. Há várias ruazinhas e becos onde se perder, algumas lojinhas de souvenirs e de produtos típicos da região. O ponto alto dessa romaria é quando se chega finalmente próximo ao mar, um mar meio turquesa, meio transparente onde as pessoas perdem uns momentos ali enaltecidos com tanta beleza.

Por ali há também uns bancos de pedra, com vista para o Mar de Levanto, onde as pessoas param, sentam, fazem seus lanches e fotografam. É um ótimo lugar pra assistir ao pôr-do-sol.

Além da visita no village, os seus arredores também são abertos para visitação. Essas colinas que cercam os cinque terre são compostas de vinhas produtoras de vinhos branco e de vinhos licorosos, e pequenas hortas onde os locais plantam limões, maçãs, tomates e outras coisas para consumo próprio (lembrando que não existem mercados). Uma caminhada na colina é uma parte essencial da visita, não se apresse por ali e tenha uma visão global de Manarola. É uma locação maravilhosa, digna de Senhor dos Anéis ou Game of Thrones.

Site do Parque em inglês com infos sobre o Cinque Terre Pass

IMG-20171101-WA0099

 

IMG-20171101-WA0049

IMG-20171101-WA0190
Essa casa amarela é um dos(poucos) hotéis de Manarola: o Ca’ D’Andrean

Quando visitar?

Estive ali nos primeiros dias do mês de novembro, portanto baixa temporada mas como era durante uma semana de férias escolares, havia realmente bastante gente. O frio já estava chegando, fazia uns 20 graus e isso não impedia os banhistas de aproveitar o mar maravilhoso.

Eu evitaria ir durante os meses de julho e agosto no sentido que os villages todos estarão lotados. Mas por outro lado também é uma boa época para aproveitar o mar e tomar um sol.

Durante março à Junho e de Setembro à Novembro acredito ser a melhor época por causa do clima e por ser baixa temporada.

Onde se hospedar?

Há alguns (poucos hotéis) e Airbnb nessas  cidades. Aqui podemos ver que a faixa de preço pra um hotel em Manarola é de a partir de 60€ a diária (quarto para 2 à 3 pessoas).

Já com o Airbnb a opção mais econômica (uma vez que este é um blog com informações de viagem ao estilo da autora, portanto low-cost, eu apresento especialmente as informações pra esse tipo de viagem) é de ficar na cidade de Levanto, uma cidade com praia a 13 km de Monterosso, o primeiro village do Parque. Você pode alugar um apartamento inteiro por lá para até 4 pessoas por 45€ a noite ou ficar em um hostel por aproximadamente 20€ em quarto compartilhado (aproveite e veja aqui como trabalhar em hostels perto de Cinque Terre).

Há opções para acampar na região também. Mais informações aqui 

Como chegar aos Cinque Terre?

de trem: http://www.trenitalia.com/ – trem sentido a cidade de La Spezia p/ ida e de Gênova na volta. Há uma baldeação na cidade de Levanto. Não se esqueça de validar o seu ticket em uma das máquinas próximas das plataformas.  média de 20€ ida e volta

de carro: não é uma opção muito aconselhada já que as estradas que levam até lá são bastante estreiras e com curvas. O pior é pra estacionar: Não há estacionamento.

de carona: de carona fica mais fácil já que a pessoa vai apenas te deixar nos arredores dos villages. http://www.blablacar.it – média de  15€ ida e volta (não se esqueça de sempre optar por motoristas com referências, esse site é bastante conhecido na Europa).

 

Espero que essas dicas possam ajudar vocês a planejar sua visita ou incluir esse destino imperdível na sua viagem pela Itália.

Feliz 2018!

 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: