Como trabalhar em hostels pelo mundo (em 2018)?

De 2010 pra cá o conceito de hostel se popularizou bastante no Brasil e, pessoalmente, acho que isso revolucionou o modo de viajar das pessoas.  Esse tipo de hospedagem traz muitas vantagens, não só financeiramente mas social e culturalmente também. Quanta gente acabamos conhecendo? Quantos rolês maravilhosos a gente não faz graças à alguém do hostel que conhece um lugar “alternativo” fora do circuito turista para ir? Sem falar dos walking tours. Além de tudo isso, você pode ter uma experiência a mais com hostels num ambiente internacional: Que tal trabalhar em um hostel em 2018 ?

Conheci algumas pessoas que tiveram essa experiência no Brasil e no exterior e recomendam. Muitas vezes são viajantes que ficam um tempo maior numa cidade e acabam trabalhando com isso por algumas horas por dia (média de 5h) – em troca de hospedagem de graça, conhecendo gente do mundo inteiro, participando dos tours e eventos oferecidos pelo hostel. Além disso muitas vezes você consegue até trabalhar na sua área já que os hostels sempre precisam de gente pra trabalhar com comunicação (atualizar mídias sociais, ou mexer com edição de conteúdo), além da recepção e outras áreas.

Por quê em 2018?

Porque quem quer viajar quer a viagem pra ontem! Além do mais sites como o Melhores Destinos estão divulgando cada vez mais passagens em promoção, para todos os lugares do mundo. Tá, o que mais? 2018 ta aí, um ano novinho cheio de possibilidades e tempo pra você organizar bem aquelas suas férias de julho, setembro ou dezembro, guardar um dinheiro e achar um hostel naquele lugar incrível que você escolheu pra ficar por uns dias. Voilà pourquoi. 

Strasbourg
Strasbourg, capital da Alsácia

Marius*, 26 anos, teve uma experiência trabalhando e vivendo em um hostel no norte da França em 2015.

Como você encontrou o seu hostel? Foi através do site Airbnb. Eu estava procurando inicialmente por hospedagem na cidade de Strasbourg.  Como estava imigrando para o país e ainda não tinha um trabalho, o anúncio de um hostel me interessou: Entrei em contato e perguntei se estavam precisando de alguma ajuda em troca de hospedagem. Deu certo.

O que você fazia? De tudo um pouco. Recepção, limpeza, geria as reservas e pagamentos, ajudava com informações turísticas, de transporte, etc.

Você ficou no hostel por quanto tempo? 5 meses.

Como foi sua experiência? Foi bastante positiva. Nesse tempo que estive ali conheci pessoas do mundo todo, fiz amizades, entendi como as coisas funcionavam na cidade e o país onde eu estava, também desenvolvi muito o meu inglês(era a língua mais utilizada ali). Além disso, você lida com pessoas do mundo inteiro. Parte negativa: você lida com pessoas.

Algum outro ponto negativo? Recomendo para curtos períodos de tempo porque não se tem muita privacidade. Sempre tem alguma coisa pra resolver, os horários são flexíveis, o trabalho não é pesado mas acaba sendo longo, porém você tem bastante tempo pra você – dentro do hostel.

Faria de novo? Faria sim. Conheci gente de todos os países, é ideal para alguns tipos de situação: Primeiro contato com um país, trabalho de férias ou se você quiser praticar idiomas.

*Nome fictício.

annecy
Que tal trabalhar aqui nas suas férias? Annecy, “a Pérola dos Alpes”

A Thaís Melise do canal Cadê a Thais? trabalhou em um hostel também na França em 2017, pelo Workaway.

“Fui para um hostel em Annecy, quase na fronteira com a Suíça. Todo o staff do local era composto de mochileiros. Tínhamos um quarto só dos trabalhadores, e cada um tinha sua tarefa. Eu fiquei na equipe de limpeza, isso queria dizer que eu tinha que preparar os quartos para novos hóspedes, 6 dias por semana. Ou seja, só dependia de mim a quantidade de horas que eu iria trabalhar por dia, contanto que o trabalho fosse feito entre às 10 da manhã e às 14 horas. Além do mais, eu podia escolher que dia da semana teria a minha folga. Nos albergues, geralmente eles não oferecem alimentação, mas muitas vezes os viajantes deixam para trás bastante comida, que acabava ficando para os trabalhadores. Se o hostel não dá comida, muitas vezes ele dá desconto nos passeios ou nos produtos do bar. Esse lugar tinha um dos bares mais badalados da cidade, estava sempre promovendo festas, e nós não pagávamos para participar de nenhuma atividade, além de ter mega descontos. Gasto com hospedagem e alimentação por 4 semanas: 80 euros!”
Leia o relato completo da Thais junto com as suas outras duas experiências com o Workaway aqui

 

Onde encontrar vagas para trabalhar em hostels?

  • Enviar mensagem direto para os hostels via hostelworld.com (pesquisando por cidades) ou até mesmo Facebook (se você já sabe em quais hostels quer trabalhar).
  • www.workaway.info  esse site reúne vários tipos de trabalhos voluntários que se pode fazer por a partir de 2 semanas. Só para a área de turismo (hostels) há quase 4.000 vagas para o mundo todo, em todas as épocas do ano. Há uma taxa de inscrição de aproximadamente 29 euros ao ano.
  • www.worldpackers.com é como o workaway mas as vagas são mais concentradas em hostels, também deve-se pagar uma inscrição – 49 dólares ao ano.
  • Você ainda pode usar outras formas de contato, como o Airbnb. Muitos hostels estão cadastrados no www.airbnb.com para reservas, mas você também pode enviar uma mensagem pra eles falando do seu interesse de trabalhar ali por um tempo, como foi o caso do Marius.

    Dicas práticas para trabalhar em hostels:   

  • Por questões de segurança sempre busque referências sobre o lugar onde você está indo. Basta colocar o nome do lugar em sites de avaliações como TripAdvisor. Sites como o Workaway e o Worldpackers possuem suas páginas com referência de quem já trabalhou ali.

  • Dentro do Espaço Schengen (Europa) você pode ficar por até 90 dias sem precisar de visto.

  • Para a América do Sul idem, após esses 90 dias você deve renovar o visto – que você receberá no aeroporto- na cidade onde você estiver mesmo.
  • Sua mala é seu armário. Tranque sempre com cadeado, pois você estará em um lugar coletivo 24h por dia.
  • Falando nisso, esteja com a mente aberta para compartilhar tudo (quartos e banheiros incluso).
  • Seja sorridente e prestativo!

 

One thought on “Como trabalhar em hostels pelo mundo (em 2018)?

Add yours

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: